O que é creosota?

O que é creosota?

A creosota é um produto químico que às vezes é usado como conservante de madeira devido às suas características preservativas. No entanto, também é um resíduo que encontramos quando acendemos nossa lareira, pois a queima da lenha produz essa substância, que adere às paredes e deve ser tratada com cuidado devido à sua alta toxicidade.

A creosota pode entrar no organismo através da pele, dos pulmões ou da boca se não forem tomadas as medidas adequadas para limpar a chaminé. Os efeitos na saúde podem ser muito graves, uma vez que a exposição contínua está relacionada a certos tipos de câncer. É por isso que a União Europeia não permite o uso de creosota como conservante de madeira.

Como a creosota se forma em uma chaminé

Quando a lenha queima, ácidos de diferentes tipos são gerados. Esses ácidos combinam-se com a umidade liberada pelos troncos aquecidos e formam o resíduo conhecido como creosota, que adere às paredes e portas das chaminés. Se uma quantidade excessiva se acumula, especialmente nas saídas de fumaça, a combustão torna-se mais difícil e a chaminé não funciona adequadamente. Portanto, é necessário manter o interior o mais limpo possível se quisermos obter o máximo desempenho.

Como reduzir a quantidade de creosota em uma chaminé

Não podemos evitar a formação de resíduos em nossa chaminé quando a utilizamos. No entanto, é possível reduzir a quantidade deles. Para evitar a formação excessiva de creosota, basta abrir a chaminé completamente quando a acendemos e mantê-la aberta por alguns minutos. A lenha será consumida um pouco mais rapidamente, mas os vapores queimam mais cedo, reduzindo assim o grau de umidade.
Também é importante usar lenha bem seca. Quando os troncos não foram adequadamente tratados, pode haver umidade em seu interior, aumentando as chances de formação de creosota na chaminé.

TAMBIÉN TE PUEDE INTERESAR:
Como limpar uma lareira

creosote

A colocação de uma porta é uma forma de isolar melhor a lareira, reduzindo a humidade no interior do lume e controlando que os resíduos fiquem apenas ali. A tiragem da chaminé é mantida a uma temperatura mais elevada, o que também é benéfico uma vez que o creosoto não endurece e não adere às paredes, fazendo com que adira menos fuligem.

Alguns produtos químicos facilitam a remoção do creosoto se não houver muito dele. Por exemplo, o pó de limpeza de chaminés, que é aplicado quando a chaminé ainda está quente, gera um vapor que seca e solta o resíduo, fazendo-o cair no fundo ou bandeja para ser removido.

creosote

Necessidade de limpar a chaminé

Conforme mencionado, a creosota é altamente prejudicial à saúde. Portanto, é importante prestar atenção em como limpar uma chaminé para não acabar intoxicado. Deve-se usar equipamentos de proteção, como luvas e máscara, para evitar que qualquer sujeira entre na pele ou nas vias respiratórias. É preferível que a máscara seja descartável e que tanto as luvas quanto as roupas usadas sejam lavadas separadamente das outras peças, para evitar transferências.

Tipos de creosota

Existem três formas de creosota, todas elas podem ser prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente se não forem manuseadas corretamente, pois contêm compostos tóxicos e potencialmente cancerígenos.

Creosota vegetal

É um líquido espesso e oleoso de cor amarelo escuro ou marrom, obtido a partir da destilação da madeira, especialmente da madeira de árvores como faia e pinheiro.

TAMBIÉN TE PUEDE INTERESAR:
Como limpar a porta de vidro da lareira

A creosota vegetal contém numerosos compostos químicos, como fenóis e cresóis, e é utilizada principalmente como antisséptico, expectorante e desinfetante na medicina tradicional. Também é usada na proteção da madeira contra fungos e insetos.

Creosota de alcatrão de hulha

É um subproduto derivado da destilação do alcatrão de hulha, um líquido viscoso e escuro obtido a partir da carbonização do carvão. A creosota de alcatrão de hulha também contém compostos como fenóis e cresóis, porém em proporções diferentes das encontradas na creosota vegetal.

Esta substância é comumente utilizada como conservante e protetor da madeira na construção, especialmente em dormentes de ferrovia e postes de serviços públicos, devido às suas propriedades fungicidas, inseticidas e repelentes à água.

Creosota como combustão de madeira

Neste caso, é um subproduto da combustão incompleta da madeira. Quando a madeira é queimada em uma lareira, gases e partículas são liberados e, ao esfriarem, condensam-se nas paredes internas da lareira, formando um acúmulo de creosota.

Esse acúmulo de creosota nas lareiras pode ser perigoso, pois é inflamável e pode causar incêndios nas lareiras se não houver uma limpeza e manutenção adequadas. A creosota também pode obstruir a chaminé, reduzindo a eficiência da combustão e causando a liberação de fumaça e gases tóxicos dentro da residência.

Portanto, é importante limpar e manter regularmente as chaminés de lenha para minimizar o acúmulo de creosota e reduzir o risco de incêndios e problemas de saúde associados.

TAMBIÉN TE PUEDE INTERESAR:
Como limpar a porta de vidro da lareira

Diferenças entre creosoto e fuligem

Creosoto e fuligem são dois subprodutos diferentes gerados pela combustão de materiais orgânicos, como madeira, carvão ou petróleo. Embora ambos possam se acumular em chaminés e sistemas de aquecimento, possuem propriedades e composições distintas.

O creosoto

Como mencionado anteriormente, o creosoto é um subproduto da combustão incompleta da madeira e é formado quando gases e partículas liberados condensam nas paredes internas da chaminé. O creosoto é uma substância pegajosa, espessa e oleosa, de cor marrom escura ou negra.

Ele contém uma mistura complexa de compostos orgânicos, como fenóis, cresóis e alcatrões. O creosoto é inflamável e pode causar incêndios em chaminés se acumulado em excesso.

Além disso, é tóxico e pode ser prejudicial à saúde e ao meio ambiente se não for manuseado adequadamente.

A fuligem

A fuligem é um subproduto sólido da combustão incompleta de materiais que contêm carbono, como madeira, carvão ou petróleo. Consiste principalmente em partículas finas de carbono negro, juntamente com pequenas quantidades de compostos orgânicos e inorgânicos.

Acumula-se na forma de poeira preta ou escamas nas paredes internas de chaminés, dutos de escape e sistemas de aquecimento. Embora a fuligem não seja tão inflamável quanto a creosota, pode causar problemas nos sistemas de ventilação, reduzindo sua eficiência e causando a liberação de fumaça e gases tóxicos no interior da residência. Além disso, a inalação de partículas de fuligem pode ser prejudicial à saúde, especialmente para os pulmões e o sistema respiratório.